• (11) 3972-0339
  • Rua Ambrosia do México, 180 – Jardim Cidade Pirituba – São Paulo/SP – CEP: 02945-040
  • contato@etecpirituba.com.br

Escolas técnicas de SP vão inaugurar modelo proposto pela reforma do ensino médio – G1

etec-pirituba-g1

G1 – Globo 

17/01/2018
33 escolas técnicas de SP vão inaugurar modelo proposto pela reforma do ensino médio (cita Etec)

Seleção dos alunos será feita neste domingo (21); currículo inclui 1.800 horas de disciplinas obrigatórias e 600 horas que variam de acordo com a escolha da área, mas todas também seguirão oferecendo os cursos no modelo antigo. 

Trinta e três escolas técnicas estaduais (Etecs) do Estado de São Paulo ligadas ao Centro Paula Souza vão oferecer, além dos cursos já estabelecidos, outras duas opções de cursos no formato baseado na reforma do ensino médio: o ensino médio com habilitação técnica profissional e o ensino médio com qualificação profissional (veja a lista abaixo). O vestibulinho para selecionar os candidatos será aplicado neste domingo (21).

A reforma do ensino médio foi aprovada em fevereiro do ano passado e ainda está em andamento no país. A modalidade formação técnica e profissional é um dos cinco itinerários formativos, previstos pela legislação, que as escolas podem oferecer aos alunos.

Neste processo seletivo, serão 1.741 vagas para o ensino médio com habilitação técnica profissional para os seguintes cursos: administração, cozinha, hospedagem, logística, nutrição e dietética, programação de jogos digitais, química, recursos humanos, serviços jurídicos e serviços públicos.
Segundo o Centro Paula Souza, esses cursos são uma alternativa ao ensino técnicointegrado ao médio que já existe. Eles terão uma carga horária de entre 2.800 e 3 mil horas durante os três anos de ensino médio que devem ser cursadas em um período (ou de manhã ou à tarde).

Serão 1.800 horas de disciplinas comuns do ensino médio e outras 1.200 horas no itinerário formativo, que podem ser preenchidas de acordo com o interesse do aluno.
Já outras 395 vagas estão distribuídas para o ensino médio com qualificação profissional, divididas entre as qualificações de administrador de banco de dados, assistente de recursos humanos e auxiliar administrativo/finanças/marketing e comercial.

Nessa modalidade, a carga horária ainda vai ser de 2.400 horas ao longo de três anos, o que representa a carga horária atual do ensino médio antes da reforma – durante o período de três anos de transição, todas as escolas deverão aumentar a carga horária até chegar a 3 mil horas.
Almério Araújo, coordenador do ensino médio e técnico das Etecs, diz que os cursos vão funcionar como uma experiência piloto que responde à demanda das unidades.

“É uma iniciativa pioneira, será uma experiência, precisamos avaliar a fixação dos alunos.”
Segundo ele, é possível formatar os cursos mesmo sem a aprovação da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) – que vai definir o conteúdo mínimo obrigatório do ensino médio. “Mesmo sem um documento aprovado, a gente se apoia naquilo que existe, como as diretrizes curriculares. Olhamos o que já existe e fazemos o recorte de 1800 horas. Até porque a base será mais vaga e não há perspectiva de grandes mudanças.”

Centro Paula Souza ressalta que os demais cursos e modalidades já oferecidos, como o ensino técnico (sem ensino médio) e o ensino médio integrado ao técnico em tempo integral, não serão extintos. No total, a rede de Etecs inclui 221 escolas.

Já nas demais escolas da rede estadual de São Paulo não haverá mudança neste ano letivo. Ao G1, a Secretaria Estadual de Educação informou que “instaurou um comitê que está trabalhando para a implementação do novo ensino médio, discutindo com toda a rede e analisando as diretrizes para fazer a adaptação”.

A reforma do ensino médio foi anunciada em setembro de 2016 e implementada por meio de uma medida provisória, o que foi criticado por especialistas. A medida também gerou revolta entre estudantes que invadiram centenas de escolas pelo país em 2016. Ainda assim, a MP foi aprovada em fevereiro do ano passado.

Ela prevê que a carga horária do ensino médio seja dividida entre as disciplinas comuns definidas pela Base Nacional Comum Curricular ainda em construção e as das chamadas de “itinerários formativos.” Os itinerários são as formações específicas que devem ser oferecidas aos alunos, e podem ser em linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas, e/ou formação técnica e profissional.

Tagged with:    

About the author /